2,01 - média de filhos por mulher na França

GIF

GIF

Uma das taxas de fertilidade mais altas da Europa.

Com 2,01 filhos por mulher, a taxa de fertilidade na França está entre as mais altas da Europa, atrás apenas da Irlanda. A França se diferencia, portanto, do resto da União Europeia, onde a taxa média de fertilidade é de aproximadamente 1,6 filhos por mulher (principalmente por causa da baixa taxa de fertilidade do Sul e do Leste da Europa).

Na França, um nascimento não é apenas baseado na conjuntura econômica: "Os bebês de 2010 foram concebidos para muitos em 2009, durante a crise econômica", disse Pascale Breuil, chefe da demografia no INSEE. Na França, a realização da maternidade passa, em primeiro lugar, por uma vida familiar e social estável. Quase 60% dos jovens franceses também quer formar uma família e ter filhos, o que os coloca emprimeiro lugar na Europa, de acordo com um estudo realizado em 2011 pela Fundação para a Inovação Política.

Uma demografia dinâmica

De acordo com o INSEE, 65,8 milhões de pessoas viviam na França em 2013, com um aumento de 300 mil habitantes (0,47%) em relação ao ano passado: este crescimento se dá, principalmente, pelo excesso de nascimentos sobre mortes .

Como lembrou Laurent Fabius na última conferência de Embaixadores, o dinamismo demográfico da França deve reforçar a sua posição na União Europeia. "Em dez anos, a população mundial terá aumentado em 20%. Ela terá 8 bilhões habitantes, a maioria na Ásia (60% do total) e África (quase 2 bilhões). A Europa não terá mais que 6% e a França 0,85%. No plano demográfico, a França, por causa da sua taxa de fertilidade, ocupará uma posição favorável entre os países europeus: nossa população deverá ultrapassar a da Alemanha antes da metade do século."

O papel fundamental da política familiar

A política familiar nos permite explicar essa "exceção francesa". A França foi o primeiro país a implementar uma política eficaz de apoio às famílias que resultou em:

- O pagamento das prestações familiares (aluguel, prestações familiares, creche)

- Licenças (maternidade, paternidade)

- Dedução fiscal (quociente familiar) ou benefícios (aposentadorias, etc.)

- Estruturas de acolhimento desde a infância

85% das mulheres trabalham

Muitos dispositivos (creches, refeitórios) permitem conciliar a maternidade com a vida profissional. A alta taxa de participação feminina (85%), contribui para promover a igualdade entre homens e mulheres.

A extensão da escolaridade e o número crescente de mulheres no mercado de trabalho, teve como consequência o aumento da idade média com a qual as francesas tinam seu primeiro filho que, atualmente, é em torno dos 30,1 anos. No entanto, este aumento da idade de reprodução não teve um impacto negativo na fertilidade.

publié le 31/10/2013

haut de la page