O Apelo de Paris

Empresas, investidores, cidades e regiões do mundo inteiro comprometem-se a ir além do nível de ambição estabelecido pelo Acordo de Paris sobre as Mudanças Climáticas.

Em Paris, na semana passada, durante a COP 21, os governos do planeta uniram-se pelo enfrentamento das mudanças climáticas ao adotarem o Acordo de Paris, primeiro acordo universal e juridicamente vinculante sobre o clima, que contribuirá para a transformação do crescimento e do desenvolvimento em nível mundial, bem como para abrir os caminhos rumo a um futuro sem carbono, estável e sustentável.

Atualmente, grandes cidades, regiões, empresas e investidores de todo o mundo, representando 150 milhões de pessoas e 11 bilhões de dólares, prometeram que irão contribuir rapidamente e de modo eficaz na implementação do Acordo de Paris e acelerar as transformações necessárias para afrontar o desafio das mudanças climáticas.

O Apelo de Paris ( L’Appel de Paris) é um convite a agir em prol do Acordo de Paris. Ele reúne, em uma escala sem precedentes, um grande número de atores em torno de uma mesma declaração coletiva:

“Saudamos a adoção de um novo acordo universal sobre o clima na COP21 em Paris, etapa essencial da solução do problema das mudanças climáticas. Nós nos comprometemos a apoiar qualquer iniciativa que permita que o nível de ambição estabelecido por esse acordo seja respeitado, ou até ultrapassado”.

Esse compromisso não deixa dúvidas de que a mensagem das negociações foi claramente percebida e que grandes cidades, regiões, empresas, investidores e outros atores não governamentais estão prontos para se posicionarem ao lado dos governos, desejosos de agir pela implementação dos termos do acordo. Ele constitui, para nós, a melhor forma de limitar a elevação da temperatura mundial a menos de 2° Celsius e de elevar a ambição desse acordo antes mesmo da sua entrada em vigor em 2020.

O Apelo de Paris já foi assinado por mais de 850 organizações, por cerca de 400 empresas, 120 investidores e 150 cidades e regiões, representando 150 milhões de pessoas e 11 bilhões de dólares.

A lista dos primeiros signatários inclui empresas como Acciona, Allianz, Kellogg’s, o grupo Tata e a Unilever; investidores como Lloyd’s e Aviva; cidades como Nova Iorque, Hong Kong, Rio de Janeiro e México; e regiões como o estado de Cross River (Nigéria), Escócia (Reino Unido), Chiapas (México) e Califórnia (Estados Unidos).

O Ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, presidente da COP21, declarou: “O leadership dos atores não governamentais foi essencial para o sucesso da COP21 e para colocar nossas sociedades na direção da transição para uma economia resiliente, fraca em emissões de gás do efeito estufa e resiliente em relação às mudanças climáticas. O mundo inteiro precisa de seu apoio face o desafio das mudanças climáticas e do desenvolvimento sustentável. É por esta razão que incentivo fortemente todas as organizações a agirem de modo audacioso e a assumirem compromissos ambiciosos, individualmente, mas também coletivamente registrando-se no portal NAZCA. Desejo que o máximo de organizações se una ao Apelo de Paris, a fim de garantir que os compromissos assumidos em Paris pelos governos sejam atingidos e mesmo ultrapassados quando forem implementados.

Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção do Clima, declarou: “A COP21 foi uma marco, não somente no que se refere ao Acordo de Paris, adotado pelos governos sábado passado. A extraordinária mobilização, antes e durante a Conferência das Nações Unidas, pelas cidades, províncias, regiões, empresas, cidadãos foi uma de suas características principais. O Apelo de Paris leva em conta este vínculo, somando-se aos esforços dos países de aumentar suas ambições para 2020 e após essa data. Nós assistimos aqui à construção de um apoio ainda mais massivo dos atores não governamentais, que se alinham com determinação às políticas nacionais, como jamais foi visto”.

Lançado por iniciativa da presidência francesa da COP21, o Apelo de Paris reúne pela primeira vez em uma mesma iniciativa um conjunto amplo de entidades engajadas na rápida redução das emissões e da adaptação às incidências das mudanças climáticas. Esses atores não governamentiais são normalmente os participantes do memorando de entendimento Under 2 MOU, do Engajamento da Casa Branca em favor da Ação Climática, do Engajamento de Montreal sobre o Carbono, dos Princípios por um Seguro Sustentável (PSI), da iniciativa “Estrada para Paris”, da coalizão We Mean Business, da Declaração da Prefeitura de Paris, do ICLEI e de muitas outras. O Apelo de Paris é aberto a assinatura de outros participantes e será divulgado no mundo inteiro. Todos os atores não governamentais estão convidados a aderir a esse apelo, a agir em prol do Acordo de Paris.

Sobre o Apelo de Paris:

O Apelo de Paris reúne centenas de atores não governamentais de todo o mundo em apoio ao Acordo de Paris sobre as Mudanças Climáticas. Lançado por iniciativa da presidência francesa da COP21, ele é administrado pelo Institute for Sustainability Leadership de l’Université de Cambridge.

Para ler o Apelo : http://www.parispledgeforaction.org/wp-content/uploads/2015/12/Paris-Pledge-for-Action-Portuguese.pdf

Para ver quem o assinou : www.ParisPledgeForAction.org/whos-joined/

Para aderir : www.ParisPledgeForAction.org/sign

publié le 05/02/2016

haut de la page