Nadia Beugré

JPEG - 322.5 KB
Nadia Beugré, Quartiers Libres@BorisHennion

APRESENTAÇÃO DO ESPETÁCULO « QUARTIERS LIBRES » (2012)

Nesta performance Nadia Beugré deseja questionar os espaços que nos são proibidos, perguntar quais são eles e o que fazemos com deles. Quartiers Libres explora e revela esses espaços tabus onde nos impõem a reclusão, os espaços proibidos nos quais decidimos entrar assim mesmo: espaços de expressão, de submissão, de revelação. Uma busca violenta e vã de liberdade se desencadeia, luta em que o abandono não é uma opção.

No meio do público, surge uma cantora singular, liberando-se, zombando de suas carências vocais, mas permanecendo prisioneira das ferramentas de sua performance, tais como o longo fio de seu microfone no qual ela se enrosca. Esse desejo imperioso de expressão a faz ocupar o palco, ela agora pode fazer o que quiser. Como enfrentar a situação? Diante das garrafas de plástico vazias que a cercam, a bailarina se transforma ao longo das liberdades que ela se dá. Às vezes ganha confiança e força junto ao público, depois adentra ainda mais os territórios proibidos, assim como um mamífero marinho que volta à superfície para tomar ar a fim de ir ainda mais fundo.

Numa luta contra um mundo que busca enterrá-la, num universo sonoro ao mesmo tempo dominador e acolhedor, seu corpo e seus resíduos se tornam por fim uma coisa só: eles se atravessam, se confundem, se absorvem.

APRESENTAÇÕES:

Rio de Janeiro
> CCBB RJ
24/08/2016
Festival Dança em Trânsito
Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro- (21) 3808-2020

>Fundação Progresso
28/08/2016
Rua dos Arcos, 24, Centro, Rio de Janeiro – RJ- (21) 3212-0800
www.fundicaoprogresso.com.br

Belo Horizonte
>Sesc Palladium
26 e 27/08/2016
R. Rio de Janeiro, 1046 - Centro, Belo Horizonte - MG, 30160-041 - (31) 3214-5350

FICHA TÉCNICA
Coreografia, interpretação: Nadia Beugré
Dramaturgia, criação e operação de som: Boris Hennion 
Figurinos: Nadia Beugré e Boris Hennion 
Criação plástica: Nadia Beugré 
Concepção de luz e direção de palco: Laurent Bourgeois e Erik Houllier 
Composição da paisagem sonora «alarmes»: Mathieu Grenier

Produção delegada: Latitudes Prod (Lille)
Agradecimentos: Centre Chorégraphique National Montpellier Languedoc-Roussillon, Agora-Montpellier Danse, Centre de Développement Chorégraphique de Toulouse.

JPEG

BIOGRAFIA DE NADIA BEUGRE

Nadia Beugré deu seus primeiros passos na dança dentro do Dante Théâtre, onde explorou as danças tradicionais da Costa do Marfim. Em 1997, acompanhou Béatrice Kombé na criação da companhia Tché Tché. Tendo recebido diversos prêmios, a companhia passou a fazer suas produções e ministrou oficinas nos diversos países aos quais foi convidada.
Nadia criou em seguida o solo Un espace vide: Moi, apresentado na Inglaterra, França, Burkina Faso, Tunísia, Estados Unidos. Passou pela formação «Outillages Chorégraphiques» (Escola das Areias, de Germaine Acogny, Senegal). Depois, em 2009, integrou a formação artística Ex.e.r.ce «Danse et Image» (direção artística de Mathilde Monnier), onde começou a trabalhar em seu solo Quartiers Libres. Trabalha principalmente junto de Seydou Boro e Alain Buffard. Criou sua nova peça Legacy em agosto de 2015 no Festival La Bâtie de Genève. Legacy foi apresentada em seguida no Théâtre de la Cité Internationale, no âmbito do Festival de Outono de Paris, em Bergen (Noruega) e no Parvis de Tarbes, onde encontrou a apreciação do público e dos profissionais. Em 2016, Nadia se dedicaria à sua próxima, Tapis Rouge, inspirada na forma apresentada em 2014 nos Sujets à vif/SACD, do Festival de Avignon. Estreia prevista para janeiro de 2017.

+ INFOS:

- www.latitudesprod.com

- www.facebook.com/latitudescontemporaines/

- twitter.com/LatitudesC_

publié le 22/09/2016

haut de la page