Escala do navio-patrulha oceânico “L’Adroit” no Rio de Janeiro

O Embaixador da França no Brasil, Laurent Bili, visitou no dia 01 de fevereiro de 2015 o inovador navio-patrulha oceânico francês "L’Adroit", no 1º distrito naval da Marinha do Brasil, no Rio de Janeiro (RJ).

JPEG

JPEG

O almoço oficial, organizado a bordo do “L’ADROIT”, contou com a honrosa presença do Exmo Sr Almirante-de-Esquadra Leal Ferreira, Comandante da Marinha do Brasil, acompanhado nesta ocasião pelo Almirante da Esquadra Gusmão, Diretor Geral do Material da Marinha, o Vice-Almirante Bento, Comandante em Chefe da Esquadra e o Vice-Almirante Puntel, Comandante do 10 Distrito Naval.

JPEG

“L’Adroit”, navio inovador em numerosas áreas de atuação, é fruto de uma colaboração entre a Marinha nacional francesa e a DCNS, grupo industrial especializado em defesa e energia. Construído com capital próprio do fabricante e colocado à disposição da Marinha nacional francesa desde o ano de 2011, o referido navio é símbolo de uma parceria muito bem-sucedida.

JPEG
JPEG

Esta escala no Rio permitiu apresentar a arquitetura e os conceitos operacionais do navio.

Para o comandante do navio, o Capitão de Fragata Nicolas Guiraud, "Economia e Eficiência" são as palavras que definem o navio-patrulha oceânico” L’Adroit”. As suas numerosas missões vão desde a vigilância marítima até a luta contra tráficos de ilícitos e pirataria.

JPEG

Para garantir a vigilância, o navio “L’ADROIT” tem capacidade de acionar um drone (veículo não tripulado) contando com o sistema de combate integrado “Polaris”. Equipado com um sistema de lançamento rápido de embarcações na água, o “L’ADROIT” destaca-se por operar com uma tripulação reduzida (32 pessoas) ou seja, um terço dos tripulantes a bordo dos navios-patrulhas oceânicos da década de 90.

O “L’ADROIT” cumpriu com êxito todas as suas missões, ao longo de mais de 530 dias no mar Mediterrâneo, no mar da China, no estreito de Malaca e no Golfo de Guiné. Ele se apresenta como a vitrine para a exportação das corvetas do tipo “Gowind”.

Um exercício com as embarcações do « L’ADROIT » foi realizado com os Fuzileiros-navais quando o navio desatracou.

publié le 17/02/2016

haut de la page