Declaração do Presidente Hollande sobre os acontecimentos em Nice


Déclaration à la suite des événements de Nice por elysee

O terror... O terror novamente atinge a França.

Nós lamentamos a ocorrência, até este momento em que falo, de 77 mortes, dentre as quais muitas crianças, e de cerca de 20 feridos em estado bastante grave. Este ataque, cuja característica terrorista não pode ser negada, é, mais uma vez, de uma violência absoluta.

Não há dúvidas de que faremos tudo para lutarmos contra o avanço do terrorismo.
O motorista foi abatido. Nós ignoramos até o momento se ele tinha cúmplices, mas estamos trabalhando para obter pistas, a partir da sua identificação.

A França foi atingida no dia da sua festa nacional, o 14 de Julho, símbolo da liberdade, porque os Direitos Humanos são negados pelos fanáticos, o que faz dela necessariamente um alvo.

Em nome do País, expresso nossa solidariedade às vítimas e às suas famílias.
Todos os meios estão sendo disponibilizados no socorro aos feridos. O Plano Branco, que mobiliza todos os hospitais da região, foi acionado. Após Paris, em janeiro de 2015, depois em novembro último, em Saint-Denis, eis que agora foi a vez de Nice ser atacada. É toda a França que está sob a ameaça do terrorismo islâmico.

Nessas circustâncias, devemos apresentar uma vigilância absoluta e uma determinação inabalável.

Inúmeras medidas foram tomadas. Nosso arsenal legislativo já foi bastante reforçado, mas devemos, aumentar ainda mais nosso nível de proteção, especialmente agora que é verão.

Assim, eu decidi, com base em proposta do Primeiro-Ministro e dos ministros competentes (Defesa e Interior), que nós iremos primeiramente manter em alto nível a Operação Sentinela, que permite a mobilização de 10 mil militares, além dos policiais.

Eu também decidi apelar para a “reserva operacional”, ou seja, todos os que em um determinado momento fizeram parte dos efetivos policiais, para que reforcem o trabalho da polícia. Nós poderemos deslocá-los para onde for necessário, especialmente no controle das fronteiras.

Por fim, eu decidi que o estado de emergência, que deveria terminar em 26 de julho, será prorrogado por mais três meses. Um projeto de lei será submetido ao Parlamento até a próxima semana.

Nada enfraquecerá nossa vontade de lutar contra o terrorismo e nós iremos, mais uma vez, fortalecer nossas ações na Síria e no Iraque. Nós continuaremos a enfrentar justamente os que nos atacam em nosso solo, em seus esconderijos. Foi o que anunciei esta manhã.

Um Conselho de Defesa será realizado amanhã. Ele examinará todas as medidas já tomadas e que acabo de anunciar. Ele possibilitará, assim, o deslocamento de todo efetivo necessário, em todos os locais e em todas as cidades onde precisaremos de proteção e vigilância.

Eu irei a Nice com o Primeiro-Ministro, após a reunião do Conselho de Defesa, para oferecer nosso apoio à cidade e a seus representantes nesse momento e para mobilizar todos os recursos necessários.

A França se entristesse com essa nova tragédia. Ela está horrificada com o que acaba de acontecer, com essa monstruosidade que consiste em usar um caminhão para matar, deliberadamente, matar dezenas de pessoas que celebravam o 14 de Julho.
A França está em lágrimas, ela sofre, mas é forte e será sempre mais forte que os fanáticos que hoje querem atingi-la. Eu lhes garanto.

publié le 19/08/2016

haut de la page