COP 21/Paris 2015

A França foi oficialmente nomeada país sede da 21ª Conferência do clima em 2015 (Paris 2015) durante a 19ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP19).

A COP21, a qual chamamos também de Paris 2015, será uma das maiores conferências internacionais já organizadas em território francês.

Nesse contexto, a França enfrenta um duplo desafio:

  • Como país sede, deverá receber durante duas semanas, nas melhores condições possíveis, milhares de delegados e expectadores sob os auspícios das Nações Unidas;
  • Enquanto país que detém a presidência da COP, deverá agir como facilitador em todas as etapas da negociação, estabelecendo um clima de confiança, conciliando pontos de vista e permitindo a adoção de um acordo por unanimidade.

JPEG

Uma Conferência das Partes com desafios sem precedentes

Essa conferência surge em um momento crucial, já que deve resultar em um acordo internacional sobre o clima que irá conter o aquecimento global abaixo de 2 ° C.

Com base nos trabalhos da COP20 em Lima, trata-se de estabelecer em dezembro de 2015 uma série de decisões.

Antes de tudo, face ao desafio das alterações climáticas, um acordo ambicioso e vinculativo que se aplicaria a todos os países.

Em seguida, contribuições nacionais (iNDC), que representam o esforço que cada país espera poder realizar. O financiamento da luta contra as mudanças climáticas será também um componente crucial, do qual uma das etapas foi concluída com a primeira capitalização do fundo verde com uma quantia que chega a 9,3 bilhões de dólares – dos quais aproximadamente 1 bilhão foi concedido pela França. Enfim, as inciativas desenvolvidas a nível infra-estatal pelas coletividades locais, organizações da sociedade civil e empresas vão ampliar a mobilização e se somar às contribuições dos Estados.

De fato, a futura presidência francesa optou por apoiar, tendo em vista Paris 2015, uma agenda de soluções. Trata-se do conjunto de iniciativas complementares ao acordo internacional, empreendidas a nível local pelos governos, por autoridades locais, assim como por agentes não estatais, e que contribuem para reforçar o compromisso dos Estados em matéria de redução das emissões de gases do efeito estufa, de adaptação aos impactos das alterações climáticas e de financiamento. Essa agenda de soluções se baseia em uma troca de boas práticas, de transferência de conhecimento e de tecnologias necessárias para que seja realizada uma transição para economias de baixo carbono.

Para mais informações :

Site internet da COP21
COP21 no Youtube
Rubrica « Clima » no site do Ministério das Relações Exteriores e do Desenvolvimento Internacional
Atualidades 2014 realcionadas às alterações climáticas

publié le 22/02/2015

haut de la page