Laurent Fabius, Ministro francês das Relações Exteriores recebeu seu homólogo brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, em 19/03/14

JPEG
Laurent Fabius, Ministro francês das Relações Exteriores recebeu seu homólogo brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo.

Foram abordadas as principais questões internacionais (Ucrânia, África, Oriente Médio) e também questões globais (perturbações climáticas, governança da internet).

Ambos os ministros discutiram todos os aspectos de nossa relação bilateral, incluindo, em particular, o reforço dos intercâmbios econômicos nos setores emergentes (energia, transportes, tecnologia de ponta) - com o objetivo de duplicar as trocas comerciais daqui a 10 anos. Outro assunto abordado, foi a implementação dos acordos assinados recentemente sobre a mobilidade dos jovens, e de cooperação educativa (aprendizado do francês no Brasil, oferta de mestrado e estágios, acordo referente ao visto “férias-trabalho”, extensão da duração dos vistos de 12 para 24 meses para os Voluntários Econômicos Internacionais - VIE).

Os senhores Fabius e Figueiredo, finalmente, trocaram experiências no âmbito da cooperação transfronteiriça que temos com o Brasil, que apoiará a assinatura de um acordo bilateral sobre os tranportes, abrindo o caminho para a futura implantação de uma ponte sobre o Oiapoque, que liga os dois países.


Brasil – Coletiva de imprensa do Sr. Laurent Fabius, Ministro das Relações Exteriores, juntamente com o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo – Discurso do Sr. Fabius (Paris, 19/03/2014)

Senhoras e Senhores,

Tenho a grande satisfação de receber – por ocasião da sua primeira visita oficial como Ministro das Relações Exteriores do Brasil - meu colega e amigo, o Sr. Figueiredo, cuja grande competência é sabida e notória.

Esta reunião ocorre três meses após a visita de Estado do presidente Hollande ao Brasil, que deu novo alento à nossa parceria estratégica conluída em 2006. Tal alento deve ser concertizado, e este foi o foco principal da nossa conversa, nesta manhã.

Primeiramente, decidimos intensificar o nosso diálogo político por meio de intercâmbios regulares, em todos os aspectos,e, principalmente, promover encontros no âmbito dos nossos ministérios das relações exteriores, pelo menos duas vezes ao ano. Nossos altos funcionários também colaborarão nesse sentido.

Grandes pautas como as questões o da Ucrânia e do Iran foram discutidas, na certeza de que, em ambos os casos, é necessário um enfoque positivo, porém vigilante. Ouvi com grande interesse a análise do meu colega e amigo a respeito da situação na América latina, inclusive sobre a questão da Venezuela, que estamos seguindo com muita atenção. As observações do Sr. Figueiredo foram da grande valia para mim.

Confirmei ao meu colega e amigo a minha próxima ida à Cuba, que representa um elemento novo para mim.

A respeito da África, estamos cientes dos eforços feitos pelos africanos para assumirem plenamente a segurança dos seus países. Da mesma forma, confirmamos o nosso desejo de trabalharmos juntos sobre a questão das perturbações climáticas. O meu colega tem vasta experiência nesse ramo, por isso a sua ajuda será muito importante para que a conferência de 2015 seja um sucesso.

Também abordamos o tema da governança da internet. Vocês bem sabem que se trata de um assunto pelo qual nossos amigos brasileiros - assim como nós - se sensibilizam muito.

No que diz respeito à economia, nossos intercâmbios comerciais dobraram em dez anos, e os nossos presidentes têm como meta, para a próxima década, que eles voltem a dobrar. Temos que trabalhar para que isso aconteça, tanto para pôr fim aos obstáculos que dificultam nossos intercâmbios, quanto para o reforço de novas cooperações em setores emergentes como a energia, o espaço, o transporte e as tecnologias de ponta. A presença das empresas francesas no Brasil é de suma importância, pois elas empregam 500.000 pessoas. Temos, então que redobrar esforços, de forma recíproca, para aumentar os investimentos brasileiros na França.

Fizemos um balanço a respeito da mobilidade dos jovens e da cooperação no âmbito educacional, o qual foi muito positivo: aprendizado do francês no Brasil, ofertas de masters e estágios, acordo referente ao visto « férias-trabalho », extensão da duração dos vistos dos VIE, de 12 para 14 meses. Há um grande progresso, mas podemos sempre melhorar. Sobretudo no que diz respeito ao turismo. Existe um grande número de turistas brasileiros na França bem como muitos turistas franceses que irão ao Brasil, especialmente durante a Copa do Mundo. Mas temos que fazer ainda mais.
Hoje de manhã, demos mais um passo à frente na consolidação das relações fronteiriças entre o Brasil e a Guiana francesa, com a assinatura de um acordo bilateral, que abre o caminho para a próxima inauguração da ponte sobre o rio Oiapoque.

As relações entre o Brasil e a França são excelentes, assim como as nossas relações pessoais. Por isso, estamos convencidos de que trabalharemos em conjunto, de forma muito estreita. Meu amigo Luiz sabe que aqui ele está em casa.

publié le 04/04/2014

haut de la page