Belém recebe Festival Internacional de Animação Francesa

Na ocasião da celebração do Dia Internacional da Animação, Belém recebe o festival internacional de animação francesa, a Fête du Cinéma d’Animation. A iniciativa é organizada pela Associação Francesa de Cinema de Animação (AFCA) e coordenada no Brasil pela Cinemateca da Embaixada da França. Na cidade, a programação é promovida pela Aliança Francesa de Belém, em parceria com o Centro Cultural Sesc Boulevard, na quarta-feira (28.10), a partir das 18h. O evento, que acontece todos os anos simultaneamente em cem cidades na França e em trinta países, acontece pela segunda vez na capital paraense. A entrada é gratuita.

Em Belém, o festival conta com a apresentação de seis curtas franceses dublados em português, que prometem envolver o público do início ao fim do festival. O primeiro deles, “Cul de bouteille” ou “Fundo de Garrafa” (2010), de Jean-Claude Rozec, narra a história de Arnaud, que recebe a terrível notícia de ter miopia grave. O garoto, que agora precisa usar uma armação de óculos com lentes tão densas que parecem um fundo de garrafa, prefere o mundo pouco claro da sua miopia povoado pela sua imaginação.

Já o curta de Stéphane Aubier e Vincent Patar, “La Bûche de noël” ou “O Tronco de Natal” (2013), retrata o drama de Índio e Caubói, que mesmo animados com o Natal, acabam sendo culpados pelo cancelamento dos presentes do Papai Noel, quando destruíram o Tronco de Natal no qual Cavalo estava dando os últimos retoques.

Em “Les Trois Inventeurs” ou “Os Três Inventores” (1980), de Michel Ocelot, a história de três inventores de belas máquinas é contada. Entretanto, quando as criações são apresentadas ao público, os criadores são taxados de bruxos.

Indicado como O Melhor Curta em Animação no Oscar de 2011, “Madagascar, carnet de Voyage” ou “Madagascar, diário de viagem” (2009), de Bastien Dubois, traz vida ao diário de viagem de um viajante europeu. A história mostra as exuberantes paisagens de Madagascar.

Da caverna de Platão a Harry Potter, passando por King Kong e os efeitos especiais...”Une petite histoire de l’image animée” ou “Uma Pequena História da Imagem Animada” (2006), de Joris Clerté, apresenta a história da animação com um olhar bem humorado.

“La Traversée de l’Atlantique à la rame” ou “A Travessia do Atlântico em um barco a remo” (1978), de Jean-François Laguionie, descreve a história de dois viajantes que, inicialmente, queriam apenas atravessar o Atlântico em um barco a remo, uma exploração como qualquer outra... Mas certas viagens duram toda uma existência. A vida a dois em um espaço reduzido não é fácil e as aparências se revelam. A produção ganhou a Palma de Ouro do Curta-Metragem no Festival de Cannes de 1978.

Sensibilizar o público e os meios de comunicação, além de dar apoio à produção cinematográfica de animação francesa são um dos objetivos da Fête du Cinéma d’Animation. A data escolhida para a festividade remete à primeira projeção de um filme de animação em público, quando o professor francês Émile Reynaud projetou “Pauvre Pierrot”, no Musée Grévin em Paris, em 28 de outubro de 1892. Além disso, a iniciativa estimula em todo o mundo o interesse do público pelas animações da França, conhecidas pela qualidade e premiações em festivais internacionais de cinema.

JPEG
JPEG
JPEG
JPEG

publié le 20/10/2015

haut de la page