« A França no Comércio Internacional »

Apresentação dos números do comércio exterior de bens e serviços ano 2015

O secretário de Estado encarregado para o Comércio Exterior, a Promoção do Turismo e os Franceses no Exterior, ministro Matthias Fekl, apresentou os números do comércio exterior de bens e serviços que traçam um retrato completo da França em suas trocas internacionais em 2015.

Principais números:

- O deficit do intercâmbio de bens e serviços da França caiu para 9,4 bilhões de euros em 2015, a taxa mais baixa em dez anos [ponto alto : 41 bilhões de euros em 2011]

- Sólido excedente em serviços: 13,8 bilhões de euros. Este valor diminuiu, no entanto, em relação a 2014, principalmente em função do recuo do excedente nos serviços para as empresas e os transportes e viagens.

- Excedente ligado às atividades de negócio em progressão: 24,9 bilhões de euros em 2105 face a 21 bilhões de euros em 2014.

- O déficit comercial da França caiu mais de 20% entre 2014 e 2015 para atingir -45,7 bilhões de euros e +5,9% em volume.

- Dinamismo das exportações de bens e serviços: +4,5% em valor em relação a 2014 e +5,9% em volume.

- Aumento considerável do número de empresas exportadoras em 2015, passando de 121.000 para 125.000 (+ 3,1%). Isso resulta de um fluxo de novos exportadores, especialmente do setor de serviços e do comércio. Trata-se do mais alto nível desde 2003.

- Pela primeira vez em 8 anos, o saldo da balança corrente da França ficou praticamente em equilíbrio em 2015.

- Em relação aos bens, as exportações francesas (+4,3%), crescem mais rapidamente que o comércio mundial (+2,6%), freado pela desaceleraçãodos emergentes.

- A fatia de mercado da França manteve-se estabilizada em 3,1% em nível mundial.
Em termos geográficos, o crescimento das exportações francesas foi principalmente apoiado, este ano, pelas economias avançadas, especialmente pela União Europeia e pelos Estados Unidos. Dentre as economias emergentes, a Turquia e a China foram os que mais contribuíram para o aumento de nossas exportações, mesmo com a redução do ritmo de importações chinesas em 2015.

Por ocasião da divulgação desses dados, o ministro Matthias Fekl declarou: “Apesar da redução do ritmo do comércio mundial em 2015, a França soube tirar proveito de uma série de fatores positivos. A dinâmica das exportações demostra a capacidade das empresas francesas de manterem-se competitivas em um ambiente internacional incerto. Nesse contexto, a orientação geográfica de nossas exportações e nossa especialização setorial jogaram a nosso favor, graças à retomada da atividade nas economias avançadas, sobretudo na zona do euro, nosso primeiro mercado, bem como ao dinamismo de nossas exportações no setor dos transportes e do luxo. Se constatamos uma degradação do saldo comercial, com exceção da energia, o avanço de nossas importações, uma das principais causas dessa degradação, traduz largamente a retomada da atividade na França. No nível dos serviços, a França confirma seu papel de grande exportadora com um sólido excedente. Outro ensinamento: o saldo das transações correntes deveria estar, pela primeira vez, quase em equilíbrio há oito anos. Esse é um fator de estabilidade e de durabilidade exterior para nossa economia.

Alegro-me de constatar que em 2015 o número de empresas exportadoras atingiu seu mais alto nível desde 2003 com 125 mil empresas exportadoras. Desde minha nomeação, eu estabeleci como prioridade o aumento do número de empresas exportadoras na França, especialmente as pequenas e médias empresas (PME) Este é, portanto, um sinal bastante positivo e uma vitória coletiva do conjunto de atores presentes no âmbito do Conselho estratégico da exportação e das regiões.
Em 2016, o esforço de adaptação e de racionalização do dispositivo francês de apoio à exportação será mantido: até 2017, 3 mil PME serão beneficiadas pelo regime simplificado para a exportação; o guichet único aduaneiro, desmaterializado em 95% é, atualmente, operacional; 9500 VIE Voluntários Internacionais em Empresa? terão uma vaga até o fim de 2016 contra 9000 em 2015, com um objetivo de 10.000 em 2017.

O programa de acompanhamento personalizado de 1.000 PME de crescimento, implementado por conselheiros em negócios internacionais oriundos do BpiFrance, Business France e da Coface, ultrapassou seus objetivos ao assumir, desde 2015, 1.100 empresas .

Eu continuarei com meu “tour de France das PME”, que me levou a realizar 42 missões em 2015 para trabalhar de mãos dadas com todas as grandes regiões cujas competências e o conhecimento de campo contribuem para a recuperação do nosso comércio exterior. Em 15 de fevereiro, com o lançamento do portal France Internacional, as empresas irão se beneficiar de uma porta de entrada única para facilitar o acesso às ferramentas de apoio e de acompanhamento disponíveis. Paralelamente, a estratégia setorial em torno das famílias prioritárias à exportação permitirá o acompanhamento de mais empresas em nossos setores-chave e fortalecer o acesso aos mercados em outros países.”

publié le 11/02/2016

haut de la page